Na Psicomotricidade, a intervenção é baseada nos sete fatores psicomotores (tonicidade, equilíbrio, lateralidade, noção do corpo, estruturação espaço-temporal, praxia global e praxia fina). É através do corpo que se estabelecem as trocas de comunicação entre o nosso mundo interno e externo. Na maior parte das vezes, falhas no desenvolvimento motor estão associadas a dificuldades no processo de aprendizagem, sendo importante estar atento a esses sinais. Deixamos então alguns exemplos simples de exercícios que poderá fazer com o seu filho/a em casa:

TONICIDADE

É o primeiro fator psicomotor e, por isso, a base/alicerce de todos os outros. É o que permite o início do movimento e influencia a nossa postura. Para trabalhar este fator psicomotor são maioritariamente exercícios de fortalecimento muscular, para trabalhar o tónus, tendo sempre em atenção que os exercícios devem ser adaptados a cada criança – idade e problemática. Exemplos de alguns exercícios:

  • Nos membros inferiores poderá usar-se uma bola de pilatos: deitar de costas, colocar as pernas na bola e realizar movimentos de trás para a frente; ou sentar numa cadeira, com as pernas a formar um angulo de 90º e pedir que toque com o joelho (esquerdo ou direito) numa bola que será segurada e posicionada pelo adulto à frente da criança.
  • Para os membros superiores são indicados exercícios de levantamento de pesos: a criança sentada com objetos de diferentes pesos de cada lado (esquerdo e direito) pedir para os colocar numa caixa que estará à sua frente – segurada por um adulto; ou deitado de barriga para baixo em cima de uma bola de pilatos, pedir para colocar diferentes objetos numa caixa fazendo força com o membro que estiver apoiado no chão enquanto o outro movimenta os objetos.

EQUILÍBRIO

São variados e diversificados os exercícios que se podem fazer com as crianças para trabalhar este fator. O importante é adequá-los às necessidades de cada criança e depois puxar pela nossa criatividade e transformar estes exercícios em atividades lúdicas e divertidas, de forma a que a criança esteja a trabalhar divertindo-se.

  • Caminhar sobre diferentes trajetos e relevos (exemplo, desenhos no chão, cordas…) e com várias velocidades;
  • Jogar à macaca;

LATERALIDADE

Atividades para trabalhar a lateralidade devem ser focadas, maioritariamente, no reconhecimento da direita/esquerda. Alguns exemplos:

  • Atar uma fita em cada pulso de cores diferentes e pedir para lançar uma bola a um alvo com a fita de determinada cor, associando ao mesmo tempo a direita e esquerda – retirando de forma gradual a associação da cor com o lado do corpo.
  • Desenhar círculos de cores diferentes no chão e pedir à criança que os pise com o pé mais próximo, depois com o pé mais distante, nomeando depois o pé esquerdo e o pé direito;

NOÇÃO DO CORPO

Para se poder trabalhar este fator psicomotor nas crianças que se começa a desenvolver a partir dos 3 / 4 anos de idade, são indicados exercícios como:

  • A nomeação e identificação das partes do corpo;
  • Atividades de mímica em frente ao espelho são uma ótima opção, permitindo que a criança tome consciência do seu próprio corpo.

ESTRUTURAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL

Todas as informações relativas ao espaço e tempo. Se uma criança tem dificuldade em perceber conceitos relacionados com o espaço como atrás e à frente, longe perto, tamanho-forma-comprimento dos objetos são indicadas atividades como:

  • Exploração do espaço envolvente e associar o nome das preposições (dentro, fora, atrás, à frente, em cima, em baixo…) aos movimentos que realiza;
  • Jogo passar por baixo da corda – limbo;

No caso de ter dificuldade em conceitos mais abstratos como as noções do tempo (dias da semana, horas, ontem-hoje-amanhã…) são indicadas atividades com música como por exemplo:

  • Deslocar-se ao som de uma música com diferentes velocidades e ritmos – música calma, andar mais lento; música mexida, andar mais acelerado. Ou volume mais alto, andar mais apressado; volume mais baixo, andar mais calmo;
  • Fazer vários ritmos com as mãos para que a criança possa imitar;

PRAXIA GLOBAL

Permite que a criança consiga realizar vários movimentos complexos ao mesmo tempo. A coordenação motora global pode ser trabalhada através de exercícios individuais como também atividades em grupo ou atividades no exterior (sendo estes últimos os mais utilizados ao trabalhar este fator psicomotor), utilizando movimentos simultâneos e alternados, como por exemplo:

  • Trajetos com obstáculos onde seja possível, saltar, correr, rastejar, empurrar, puxar…;
  • Dançar;
  • Jogo do mata…

PRAXIA FINA

 De forma a melhorar a motricidade fina de uma criança, atividades realizadas em contexto de mesa são as mais indicadas, como por exemplo:

  •  Pintar, desenhar;
  • Brincar com plasticina;
  • Enfiamentos como por exemplo missangas…

Mariana Santos, Psicomotrocista, MS Psicomotricidade Relacional

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *