Não há nada de errado com o dormir na cama dos pais. Contudo, se passar a ser a regra em vez de exceção, pode tornar-se num ciclo vicioso que será difícil de quebrar e tornar-se numa preocupação.

O passar a noite com os pais poderá aumentar o sentimento de segurança, nomeadamente em crianças mais pequenas, e ser reforçante para os pais. Contudo, isto irá poderá limitar a capacidade de aprendizagem do seu filho, a sua capacidade de lidar sozinho com os seus medos e ansiedades e também a sua independência.

É importante criar bons hábitos de sono precocemente, quanto mais cedo for a transição da criança para o seu quarto, à partida será mais fácil e menor será a resistência que o seu filho fará. Esteja preparado para o facto do processo exigir tempo e acima de tudo consistência, existindo algumas estratégias que o poderão ajudar.

É importante que o quarto e o momento de ir dormir esteja associado a coisas positivas para a criança. Se a mesma perceber que aquele local é seguro e cheio de coisas que gosta e que a tranquilizam, mais facilmente passará lá a noite toda. Durante o dia, procure brincar com o seu filho no quarto dele, realizando juntos atividades prazerosas e com brinquedos que se irão manter no quarto na hora de ir dormir, como por exemplo um peluche.

Antes do processo de transição, e de acordo com a idade e competências do seu filho, converse com ele acerca do que se vai passar, envolvendo-o no processo. Lembre-o de que todos os elementos da família são crescidos e têm o seu próprio espaço para dormir e que só se levantam durante a noite se for realmente necessário, como por exemplo para ir à casa-de-banho. Antes de irem dormir, poderá ir preparando-o, avisando-o quando faltarem 10 e 5 minutos para se ir deitar. O estabelecimento de uma rotina facilitará, com um ritual que envolva uma escolha do seu filho numa atividade agradável antes de ir dormir, como por exemplo a leitura de um livro que gosta, terminando com um beijo de boa noite e um afastamento progressivo por parte da mãe ou do pai.

Seja consistente, se o seu filho vai para a cama dos pais a meio da noite, não o deixe ficar e incentive-o a voltar para a sua própria cama. Procure ensinar o seu filho a voltar a adormecer e a controlar os seus medos sozinho. Sempre que possível, procure encontrar estratégias que ajudem o seu filho sem ser necessário estar presente, por exemplo ter uma luz de presença se tiver medo do escuro. É possível que assista a algumas birras e aqui é importante ser inflexível, para que a criança não aprenda que se fizer uma birra poderá ir para a cama dos pais. Para além disso, se ceder, poderá voltar atrás em todo o processo. Se a criança se levantar ou sair do quarto, insista para que ela se deite e repita o processo sempre que for necessário. Com a implementação consistente das regras, a criança rapidamente perceberá e todos passarão a ter noites mais tranquilas.

É de extrema importância o reforço positivo sempre que a criança dormir na sua própria cama! De manhã, sempre que o seu filho acordar no quarto dele, faça uma festa enorme, diga-lhe que já é um crescido e poderá também associar um sistema de motivação. Poderá combinar com a criança que por cada noite de sucesso ganhará uma estrela e ao final de 2 ou 3 poderá ter um livro novo ou realizar uma atividade que gosta. Gradualmente, à medida que o seu filho vai tendo mais sucesso, vá aumentando este número para 4 ou 5 até ganhar o prémio e assim sucessivamente, até já não ser necessário e o dormir no seu quarto instituir-se como um hábito.

Sofia Moreira, MS, Pós Graduada em Análise Comportamental Aplicada

Psícóloga

Categories: Oficina de Sugestões

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *