O papel dos avós é muito saudável e benéfico para o desenvolvimento das crianças, com uma relação de afecto e carinho que marca a infância, numa troca inesgotável. A figura dos avós é muito importante para a formação das crianças, pois eles também se tornam exemplos.

Por vezes, hoje em dia, as crianças passam mais tempo com os avós do que com os próprios pais, que levam uma vida agitada e que estão fora na maior parte do dia. Neste sentido, é importante que os pais e os avós trabalhem em conjunto e que somem experiêncas, havendo comunicação e algum compromisso de parte a parte. Os pais devem manter as regras, a exigência e os hábitos incentivados em cada etapa do desenvolvimento dos filhos e os avós devem ter um outro papel, podendo ser conselheiros e educadores.

As crianças devem ter presente que, tanto na ausência como na presença dos pais, devem obedecer aos avós, assim como tratá-los com respeito e perceber que há limites e regras a cumprir. Ensine as crianças que devem obedecer os avós e fale previamente com estes acerca do que deve acontecer quando as regras e limites não são cumpridos, de forma a que a criança aprenda a respeitar as mesmas, independentemente do cuidador ou do contexto onde esteja.

É importante que a casa dos avós não seja vista pelas crianças como um local onde tudo é permitido, sendo importante os pais e os avós trabalharem em equipa, cada um no seu lugar, os pais como principais responsáveis pela educação dos filhos e os avós como colaboradores nesta tarefa. No caso de uma criança com necessidades educativas especiais, alguns ajustes por parte de todos tornam-se ainda mais necessários. Os avós devem seguir o exemplo dos pais da criança, informando-se o mais o que puderem acerca da situação e seguindo todas as instruções que lhe forem dadas, contribuindo o mais possível para a sua evolução.

De uma forma geral, os avós devem procurar nunca contradizer as regras dos pais, podendo dar as suas ideias e conselhos, sendo que os pais podem ou não segui-los. Porém, é sempre bom ouvi-los e, se for oportuno, aceitar a sua ajuda e colaboração. É importante que pais e avós não discutam sobre a educação das crianças na presença delas, procurando discutir ideias num outro contexto e com alguma cedência e compreensão de parte a parte.

Idealmente as crianças devem manter a rotina habitual quando estão em casa dos avós, fazendo as atividades obrigatórias (como por exemplo os trabalhos de casa) e apenas depois de as terminar poder usufruir de atividades lúdicas e mais livres. Este é um momento em que os avós poderão ensinar aos netos alguns talentos que têm, como por exemplo culinária, jogos ou artes manuais, contituindo uma forma de passar conhecimentos, ensinar diversas competências e passarem tempo de qualidade. Para os avós que tenham maior disponibilidade, poderão aproveitar para realizar passeios pela natureza e a outros locais que as crianças gostem, fornecendo mais ideias e temas para outras atividades juntos. Para além disso, é uma forma divertida de incutir normas e valores nos seus netos.

O convívio entre avós, pais e netos poderá assim ser benéfico para todos. Os avós poderão transmitir conhecimento e tranquilidade aos pais e aos netos, enquanto se sentem úteis e mais ativos física e psicologicamente. Com dedicação a convivência, a relação de todos ganha contornos saudáveis e a educação correta das crianças constitui um importante reforço.

 

Sofia Moreira, MS, Pós Graduada em Análise Comportamental Aplicada

Psícóloga

Categories: Oficina de Sugestões

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *